7 de Setembro - Aniversário da Independência do Brasil

Nesse 7 de Setembro comemoramos o 199º aniversário da Independência do Brasil.

 

Há 199 anos, no dia sete de Setembro de 1822, o Brasil tornou-se independente de Portugal, passando à condição de Reino, sob a regência de D. Pedro I.

 

Mas a História nos mostra que os acontecimentos que antecederam esse histórico dia começaram em 1808, quando a Família Real Portuguesa, fugindo das tropas francesas que invadiram Portugal, chegou ao Brasil.

 

D. João VI, rei de Portugal, instalou a capital do seu Reino no Rio de Janeiro, elevando o Brasil, em 16 de dezembro de 1815, à categoria de parte do Reino Português. O Reino Português, passou a denominar-se Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.

 

Não há o que se contestar a importância chegada da Família Real e da elevação do Brasil, em todos os aspectos: Economia, Educação, Cultura, Saúde, saneamento básico, infraestrutura urbana, viária, portuária (os portos do Brasil foram abertos ao comércio internacional). O desenvolvimento chegou, e a passos largos.

 

Essa medida foi importante porque plantou as bases da Nação Brasileira, não apenas no seu aspecto político e econômico e cultural mas, principalmente, a garantia da sua integração territorial.

 

Nesse período ocorreram algumas insatisfações, como a Revolução Pernambucana, em 1817, motivada pela elevação da carga tributária que a mudança da Família Real para o Brasil motivou. 

 

Enquanto isso, em Portugal, a Revolução Liberal do Porto, em 1820, e suas consequências, acabaram por precipitar o retorno da Família Real para Portugal. 

 

A Revolução Liberal do Porto eclodiu em 1820 e foi organizada pela burguesia portuguesa inspirada em ideais liberais. Um dos grandes objetivos dos portugueses era o retorno do rei para Portugal. 

 

Na visão da burguesia portuguesa, Portugal deveria ser a sede do Império português. Pressionado, em 26 de abril de 1821, D. João VI voltou para Lisboa, deixando seu filho, D. Pedro de Alcântara, como regente do Brasil.

 

Mas nos meses seguintes, com a mudança do Rei para Portugal, os brasileiros não aceitaram as exorbitantes ordens de Lisboa, tanto nas questões econômicas quanto políticas. 

 

Os portugueses exigiam o retorno do príncipe regente a Lisboa, mas em 9 de janeiro de 1822, Dom Pedro decidiu que não atenderia as ordens de Lisboa, e disse que aqui ficaria. 

 

Nesse dia, D. Pedro pronunciou as palavras que entraram para a história do País: “Como é para bem de todos e felicidade geral da nação, estou pronto; diga ao povo que fico”.

 

Nos meses seguintes, as relações entre o Brasil e Portugal se estremeceram ainda mais, ao ponto de chegarmos no dia 7 de Setembro, quando D. Pedro, às margens do Riacho Ipiranga, em São Paulo, após receber uma correspondência de Lisboa, proclamou a Independência, como o famoso grito “Independência ou Morte”.

 

Em 12 de outubro de 1822, D. Pedro foi aclamado imperador do Brasil e no dia 1º de dezembro do mesmo ano, foi coroado D. Pedro I. Em 2022, no dia 7 de Setembro, estaremos comemorando o bicentenário da Independência do Brasil.

 

Vivemos, hoje, tempos difíceis, de pandemia, de crise econômica e política. Ainda existem distorções graves, e um abismo abissal entre as classes dominantes e a população mais pobre.

 

No Brasil de hoje, os mais ricos são extremamente ricos e os mais pobres, miseráveis que muitas vezes não têm o pão de cada dia sobre a mesa, simplesmente porque não têm emprego, não possuem meios de sobrevivência. No geral, falta, ainda, Saúde, Segurança, Educação, Saneamento Básico, Infraestrutura. 

 

Passados 199 anos do Grito do Ipiranga, o País parece não ter consolidado a sua condição de Independência, uma vez que permanece a eterna disputa, entre os políticos que não se entendem, enquanto vemos distorções graves, com salários e gastos exorbitantes nos poderes constituídos, impostos extorsivos, enquanto o trabalhador é obrigado a viver com um salário mínimo de pouco mais de R$ 1.000,00. Para eles a Independência do Brasil, ainda não aconteceu.

 

Fonte: https://cvcomunicacao.com/noticia/1045231/nesse-7-de-setembro-comemoramos-o-199-aniversario-da-independencia-do-brasil

Data de Publicação: sexta-feira, 03 de setembro de 2021

Receba novidades sobre assuntos da Câmara

Endereço:
Ladeira Ute Amélia Gastin Pádua, nº 150 - São Tarcísio
Afonso Cláudio – ES - CEP: 29600-000


Telefone:
(27)3735-1234/3735-1954
E-mail:
cmac@cmac.es.gov.br

Horário de Funcionamento:
Segunda a Sexta das 7h às 13h

Dia e Horário das Sessões Plenárias:
Todos os dias 10, 20 e último dia útil do mês, às 9 horas

CÂMARA MUNICIPAL DE AFONSO CLÁUDIO - ES
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com as condições contidas nela.